11 novembro 2006

prévia do autor

Duas histórias que fazem parte da minha trilogia do desconhecido e dos sete pecados, que fecha com o romance XILINDRÓ, A HISTÓRIA PROIBIDA.

Em REFLEXÕES DA PAIXÃO FRIA, vítima de uma série de injustiças, Justino engendra uma farsa alimentada pela vingança contra três irmãos que o desprezaram. Esta é uma história comum que, por mais que não pareça, pode acontecer em qualquer família.
O embrião do enredo foi o título sugerido há vinte e tantos anos por um amigo de adolescência com o qual estudei, um cara gozador que parecia o Coringa do Batman & Robbin e que eu chamava de Sérgio Papel, de tão branco como folha de caderno que o magrela era; mas ele não era só isso. Sarcástico e rascante, questionador da quietude plástica de todas as coisas, ele era mais inteligente que a média e provocava o lado obeso da alma das pessoas, até dos nossos mestres. Sérgio Papel, que na época morava no Cachambi, bairro do Rio de Janeiro, foi quem me deu a deixa.


Em TELHADO DE VIDRO, uma estória que mexe com o fantástico e que jamais poderia acontecer em qualquer família, eu agradeço a existência dos imortais brasileiros e mergulho nas águas de Monteiro Lobato, Dias Gomes, Nelson Rodrigues e Ariano Suassuna, traçando a saga do missionário Libório da Catinga, padre que tem a sina de combater Demóstenes Fogueira, o diabo em carne e osso, que conhece o seu apego à vaidade e lhe joga a maldição de conviver três décadas com uma catinga dos infernos, sem pulsação ou batimentos cardíacos, tal qual um defunto sobrevivente que insiste em rezar a missa para um povo que invariavelmente tampa o nariz quando o vê.
Esta é a minha melhor obra e, apoucado, está virando um livro, e eu fico só imaginando como ficaria o impagável Lima Duarte na pele do catingoso que, para realizar o ansiado Milagre de São José(previsto nos escritos do Profeta Moraes Moreira), tem a missão de proteger e unir os filhos do Prefeito Chico Jumento com a prostituta Nanete Faz Milagre, trigêmeos que não sabem um da existência do outro, cada um detentor de um sentido excepcional: Samir Raad(visão), Guido Valente Wells(audição) e João Maria Callado(olfato), respectivamente adotados por Michel, um empresário libanês, Charles, um construtor inglês, e Ondina, uma carioca virgem e trambiqueira.

Muitas histórias virão: CALANGO URBANO, O VILÃO, CENTELHAS DE FUGA, JANELAS DE FOGO, O ENIGMA DA FAMA, O HOMEM DA PARÁBOLA, APLAUSOS DO VENTO, XINELO DE DEDO, ARTISTA CADÁVER, os musicais infantis COMO FAZ CASINHA e MEDO DE ESCURO, e outras mais.


6 comentários:

Luiz Alberto Machado disse...

Olá, muito bom seu espaço, parabens. Voltarei mais vezes e indicarei nas minhas páginas.
Beijabrações e sucesso
www.luizalbertomachado.com.br

Sandrinha disse...

OI, BONY, RELI SUA HISTÓRIA, "TELHADO DE VIDRO"!!!!!!!!!!
EXCELENTE FICÇÃO, MEU AMIGO, MUITO BEM ESCRITA, DIGNA DO ELENCO DE "O BEM AMADO".

BEIJOS

elane rebello disse...

sandrinha falou de o bem amado, meua vô era primo de paulo gracindo, gde orgulho, pena q nao conheci, os dois moraram juntos qdo peqnos,parabéns pela sua história vc é um cranio!!!

elane rebello disse...

passando pra deixar um abçao!

elane rebello disse...

Bony,tem um site,de um ccolega,do rio,noivo de uma amiga,
q stá divulgando novelas,histórias,vai la,
http://comentariosdatelevisao.zip.net/


espero q ajude em algo!!
bjs

Gilson Saraiva Alves disse...

Obrigado a todos pelos comentários! E quando eu citei "Xinelo de dedo", é pq o título da sinopse não é com ch, a humildade e pureza do personagem não permitem que ele entenda essa diferença, mas são elas que o levam a se tornar um grande homem.